Regionalismo da especialista: frango com pequi

Falta de tempo. É disso que a maioria das pessoas sofre hoje em dia. Eu ando numa fase mais sem paciência. A começar pela freqüência inicial de postagens, e os atuais dias, onde os grilos cantam seus cri cri cri e o blog da
OFE foi “deixado de canto”.

fgo pequiMas, para a nossa querida Ligia não. Assim como mais da metade da população foi pela falta de tempo que o resultado de hoje foi esse maravilhoso e tradicional Frango de Panela com Pequi.

“Eu já tinha um franguim no congelador e estava sem tempo para fazer assado. Eram sobrecoxas muito grandes para serem fritas. Como boa caipira que sou, resolvi fazer na panela”, conta.

Nossa futura chef ainda encontrou no misterioso mundo do seu congelador alguns pequis, influenciada pelo espírito goiano que toma conta das cozinhas em Brasília, local onde reside. Não deu outra. Escandalizou no movimento com um resultado, que, melhor impossível.

“Aproveitei e joguei todos [os pequis] no fundo da panela e preparei com 2 tabletes de caldo de galinha e as sobras de pele do próprio frango. Enquanto isso, selei o frango já temperados com sal e pimenta do reino e reservei”, explica Lígia.

Aí na sequência, preparou cebolas, cenouras e alho poró picadinhos, jogou na panela, e voltou ao frango, que já selados, foram para o fundo da panela, com os pequis, uma colher de extrato de tomate, uma de geleia de pimenta, uma folha de louro, fervidos até que o caldo de galinha reduzisse pela metade e engrossasse. Ela finalizou com “verdinhos” e pronto.

Típico, regional, diferenciado, fora da rotina e sinceramente, pra mim ~a cara da quinta-feira, pra chamar a galera, tomar uma dozinha, jogar um carteado, hein?

perfil

 

Ligia Escarso é o nome dela. Segundo semestre de gastronomia na uniCEUB, Brasília, amiga, ex-doida, mãe, e, cozinheira. Vai aprimorar o blog da OFE com receitas mais sofisticadas – praquele dia em que você quiser sair da guerrilha. Mas não vá achando: algumas receitas são tão simples – mas tem um toque tão gourmet, que nos faz pensar: como eu nunca pensei nisso antes?

A voz da especialista: filé de tilápia no papilote

Uma vez eu comprei uma narguilé no impulso. Sabe? “Bebeu demais numa tabacaria, comprou por um preço exorbitante, e depois, não que tenha arrependido, mas ta lá. Parada, servindo de decoração”. E junto com ela, além do carvão e do fumo, veio o papel alumínio. E eu pensei, o que fazer com esse papel, né?

Aí pronto, chegou nossa especialista Ligia, estreando hoje, com a dica: filé de tilápia no papilote.

Bora experimentar primeiro temperando o filé – olha, delicadeza ta? Filé de peixe costuma se desintegrar – com sal e pimenta, e colocando em cima cebola, azeitona, palmito, tomate, champignon. Se você não tiver toda essa riqueza, coloque o que tiver. Vale ervilha, Anandha? Vaaaaale. Vale salsinha? Simmmm. Vale colocar pedaços de bacon? Me chama.

Depois você pega o alumínio e coloca na cabeça para esperar o ataque alienígena numa forma, joga um azeite e mais uma pitada de sal e pimenta em cima e embaixo. Feche completamente e leve ao forno. Papo rápido porque peixe cozinha BEM RÁPIDO.

Tilápia card

Acompanhamentos à parte. Nossa, futura, chef (que vai ficar rica e falar que começou colaborando no meu blog) acompanhou com abobrinha italiana e tomate cereja salteados no azeite, alho e sal. Uma salada caprichada de alface, rúcula, cenoura e pepino é super válida e o melhor, saudável.

Nos restaurantes japoneses costumam sobrar os olhos da cara por um peixinho no papilote. Faça o seu. Além de ser a sua maneira, você economiza pra tomar aquele vinhozinho ou comprar uns belos bom-bons.

Semana que vem tem mais uma, e preparem-se: eu vou testar a receita!

 

perfil

 

Ligia Escarso é o nome dela. Segundo semestre de gastronomia na uniCEUB, Brasília, amiga, ex-doida, mãe, e, cozinheira. Vai aprimorar o blog da OFE com receitas mais sofisticadas – praquele dia em que você quiser sair da guerrilha. Mas não vá achando: algumas receitas são tão simples – mas tem um toque tão gourmet, que nos faz pensar: como eu nunca pensei nisso antes?